Samuel Beckett escreveu um dos textos seminais do teatro contemporâneo, “Esperando Godot”. Em uma construção entre o clownesco, o farsesco, o drama e a tragédia, lança o indivíduo na inação e na impotência do homem frente às perplexidades do mundo hoje.
WeTudo – DesEsperando Godot, estabelece um diálogo com os personagens de Beckett, a partir de uma dramaturgia que joga os atores/personagens numa condição oposta à inação e à impotência; estão em constante movimento e podem ir para todos os lados. Assim, as grandes questões de Beckett são revistas e expandidas pelos paradigmas do homem contemporâneo.
O espetáculo participou do Festival Conexão XXI (2010), em João Pessoa – PB, no projeto Zona de Risco no Centro Cultural São Paulo (2009) e no espaço GAG (2009).

Em Esperando Godot dois homens, juntos à uma árvore, uma raiz, esperam indefinidamente pela chegada de Godot. WeTudo se inicia exatamente no momento em que eles desistem da espera. Partir significa escolher, determinar, procurar um caminho, tomar a vida nas mãos, abandonar a raiz e buscar o rizoma, as ligações infinitas, à procura de respostas que esperavam eternamente serem respondidas por Godot. Entram nos fluxos, perdidos, desencontrados, mas na potência de atuar. Tudo a fazer.